10/08/2022

O tema que vai guiar todas as atividades ao longo do ano é mineiridades. Isso inclui todo o conteúdo que será produzido por aqui, no Portal Sabiá. Vamos investigar os possíveis traços de personalidade que definiriam o tão falado  jeito mineiro de ser, relacionando a identidade de “ser mineiro” às demais questões que se desenrolam na vida das pessoas 60+ que moram ou carregam consigo as Minas Gerais.

 

A ideia é explorar. Mesmo achando que não dá para conhecer “o mineiro” ou “a mineira”, assim, no sentido abstrato. Até porque somos mais de 20 milhões de habitantes, cada indivíduo com sua história própria, uma muito diferente da outra, e vivendo em diferentes contextos. Por isso, vamos achar muito bom conhecer vários mineiros e mineiras 60+ ao longo do ano.

 

Para compor o projeto gráfico que acompanha o Portal Sabiá e todos os seus canais pelo ano de 2022, olhamos para nossa cultura, nossas paisagens, ícones e ídolos. Veja cada detalhe da pesquisa a seguir.

O mineiro e a mineiridade

Ao escrever “Feijão, Angu e Couve: ensaio sobre a comida dos mineiros” (obra publicada em 1966 e desde então a maior referência sobre gastronomia mineira), o professor e escritor Eduardo Frieiro já filosofava a respeito da tarefa que é tentar definir “o mineiro” ou “a mineira”

 

Dizia Joseph De Maistre que em suas viagens tinha conhecido muitos homens, mas nunca tinha visto “o homem” – esta abstração. Que é então o que pode ser “o mineiro”, ou o que são “os mineiros”? Um aglomerado populacional, ou uma realidade antropológica que se pode definir?

 

Parodiando o escritor francês mencionado, diríamos que conhecemos muitos indivíduos oriundos de Minas, mas não conhecemos “o mineiro”, ou “os mineiros”, como grupo humano dotado de determinados caracteres gerais reconhecíveis empiricamente. Pode-se até afirmar, sem o risco de formular uma hipótese muito aventurosa, que a população de Minas Gerais é tão geograficamente diversificada como a flora e a fauna do seu vasto território, situado um tanto abaixo da zona equatorial e um pouco acima do trópico de Capricórnio.

 

FREIRO, Eduardo. Feijão, Angu e Couve: ensaio sobre a comida dos mineiros. Coleção Reconquista do Brasil. Editora Itatiaia, 1982.

 

Aqui no Portal Sabiá e em nossos outros canais na internet, seguimos o professor Frieiro, e entendemos por mineiros “muito simplesmente como o conjunto dos habitantes do território de Minas, tanto os do passado como os do presente”.  E vamos investigar os mineiros também com o mesmo método que Frieiro adotou: “baseando-nos em testemunhos, depoimentos, notícias e outros curiosos elementos de informação, colhidos em variadas fontes”, ou seja, por meio da coleção de histórias.

Minas Gerais como fonte de inspiração

As cadeias de montanhas que esculpem nossos horizontes, com todas as curvas e seus altos e baixos, serviram de inspiração para a assinatura do projeto.

 

O conjunto de fontes tipográficas do Sabiá foi escolhido com a acessibilidade de leitura em mente. As fontes utilizadas para o texto não possuem muitos detalhes, e podem ser aplicadas em tamanhos maiores, buscando assim reduzir o desafio que pode ser focar o olhar em um texto e otimizar o tempo de leitura em cada tela.

 

Para ilustrar o conteúdo do Portal Sabiá, procuramos elementos nas formas de nossa arquitetura. Olhamos tanto para o movimento barroco da época colonial, quanto para as obras modernistas de Oscar Niemeyer que definem o horizonte da capital.

Ouro Preto – MG / Museu da Inconfidência | [pt] Além do prec… | Flickr

File:Afresco completo da Pampulha.jpg – Wikimedia Commons

 

 

A paleta de cores do Portal Sabiá 2022 bebeu inspiração de uma das manifestações culturais mais populares no folclore mineiro, o congado (ou congada ou reinado).

Museu da Pessoa

 congado. | festejo do tambor mineiro 2008 | Fabio Maciel | FlickrCatas Altas da Noruega – Guarda de Congado de Nossa Senhora das Graças | ipatrimônio (ipatrimonio.org)

 

O famoso mineirês

E como não poderia deixar de ser quando o assunto é mineiro, nosso sotaque também dá as caras no Portal Sabiá. Esperamos que durante o ano de 2022, quando você ler nosso material, você possa ouvir o jeito mineiro de falar. Vamos usar e abusar de expressões do “mineirês” em nossos textos, o que não deve ser muito difícil já que a gente fala é assim mesmo, sô!

 

Isso é só o começo, acompanhe nossos canais para ver o conteúdo que vamos construir com vocês por todo o ano. Ah! E olha só para você ver, caso decida conversar com a gente nos comentários, por aqui a gente é bem chegado em um ou dois dedos de prosa!

Conta um causo aí que você acha que a gente devia procurar saber?

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado.